Artigos   

PAZ FINANCEIRA
Recentemente li um livro que muito me impactou. Paz Financeira é um maravilhoso livro escrito por um cristão bem sucedido no mundo dos negócios imobiliários que relata com humildade, seu fracasso financeiro, e dá algumas pistas para superar a angustiante escravidão que a dívida financeira traz para o ser humano.

Uma das coisas que ele faz questão de observar é que a maioria das pessoas estão perturbadas, sem saber como manusear o dinheiro que tem recebido, e um dos grandes vilões tem sido a dificuldade que temos para dizer “não” para nós mesmos em relação ao consumo e a gastos que temos assumido. Queremos comer a sobremesa antes do jantar.

Famílias Pastorais são muito susceptíveis a esta realidade: A maioria convive com pessoas que ganham um pouco mais, e estão sempre sendo desafiadas a dar um presente “compatível” aos filhos com o dos seus amiguinhos. O Pastor e sua esposa devem vestir bem, pois representam a Igreja, no entanto, nem sempre seu salário é compatível com seu “status”. A melhor definição para isto foi dada pelo filho de um pastor na escola dominical, que quando indignado sobre o que era o pastor disse: “Pastor é alguém que vive como rico, e ganha que nem pobre”. Isto gera uma distensão entre a receita e a despesa, entre o que entra e o que sai, e assim, a família pastoral vive quase sempre correndo para cobrir a déficit que seu balanço bancário apresenta, depois de um jantar num final de semana com amigos da Igreja.

Nós somos uma sociedade imediatista, caracterizada pelo fast-food(cada vez mais fast(rápida) e menos food(comida), somos a geração micro-ondas. Queremos prazeres imediatos, até mesmo nossa relação com Deus tem sido assim: Queremos respostas imediatas! Nós não temos facilidade para transferir para um outro momento, uma situação de prazer. Falta-nos disciplina para isto. A maioria das pessoas endividadas, não está por causa de problemas de saúde ou tragédias, mas porque foram incapazes de dizer não, a um que exigiria deles um gasto que eles não podiam assumir, ou uma vitrina que se tornou extremamente atraente que levou-os a colocar o débito no cartão de crédito, rolando a dívida para o mês que vem para cobrir com dinheiro que eles não têm de onde tirar. Assim, perdem a paz financeira.

Pessoalmente, tenho estipulado alguns princípios básicos para encontrar esta paz, uma vez que tenho descoberto que desequilíbrio financeiro gera alguns sérios problemas em nosso pastoreio: Nossa atenção se divide, as brigas no lar se tornam mais freqüentes, nossa ansiedade aumenta, as coisas básicas começam a ficar atrasadas: cheque especial, contas pessoais e mensais como aluguel, luz, água, escola das crianças, aumento do debito no cartão de credito, etc.

Princípios que podem (re) orgaznizar sua vida financeira:

1. Quite seus débitos - Fala-se muito hoje em "juro-composto", o juro que se acumula em nossa conta, o antigo "juro sobre juro". Qualquer débito com juros atuais como os que temos no Brasil, ou mesmo juros baixos são capazes de distender sua economia. Se você já esta devendo, a melhor forma de se livrar e vendendo alguma coisa para sair deste circulo vicioso de receber seu salário para pagar as contas vencidas, tendo todo seu salário já comprometido. Duas sugestões podem ser feitas para se quitar: (a) - Corte as gorduras e não crie outros débitos, veja se e possível quitar apenas eliminando gastos, se possível, você pode alcançar este equilíbrio mais rápido. Comece pagando as dividas menores para a maior (isto tem um efeito psicológico- você começa perceber que seus esforços estão valendo a pena) (b) - Não fique a mercê de nenhuma financiadora, agiota ou banco- Caso sua situação seja mais grave, se necessário, venda seu carro e compre um mais velho, ou então, ande de ônibus um pouco, sua vida vai ficar um pouco mais complicada, mas vai valer a pena o esforço. Disciplina é boa para o corpo, mas é melhor ainda para a alma.

Debito prolongado e mal planejado tem a ver com disciplina pessoal da alma, revela nossa incapacidade de viver com o que temos, seja qual for o salário que recebemos.

2 - Planeje sua vida a longo prazo - Isto é, não coma a sobremesa antes da janta. Muitos gastam seus dias viajando, passeando, comprando roupas desnecessárias e indo a restaurantes, sem possuírem um projeto a longo prazo: aposentadoria, entrada num apartamento (casa). Não conseguem adiar um prazer imediato, não são capazes de planejar para comprar um video-cassete ou carro, compram a prestações, juros altos, esquecendo-se que com o juro que pagam comprariam dois aparelhos...Compra a vista ainda tem desconto...

3 - Faça as coisas trabalharem para vocês - Muitos vivem correndo atras do dinheiro, mas poucos colocam o dinheiro para trabalhar para eles. Por exemplo, ao comprar um imóvel e aluga-lo, você pode reforçar seu caixa, aquilo se torna uma entrada extra. Quando aplica este dinheiro no mercado financeiro, os juros pequenos tornam-se uma bola de neve. Ao invés de trabalhar para pagar juros, seu dinheiro trabalha a seu favor.

O grande princípio de uma vida financeira equilibrada é a coisa mais óbvia de todas, contudo, a maioria parece fazer questão de não saber. Nosso governo, lideranças políticas e famílias ainda não entenderam: Ninguém pode ter paz financeira se não tiver equilíbrio nas suas finanças! Paz financeira começa quando decidimos equilibrar o que ganhamos e o que gastamos. Isto é, quando aprendemos a nos “contentar com o nosso saldo”. Temos vivido verdadeiros tormentos, lares tem sido desfeitos, famílias inteiras tem vivido infernos pessoais, simplesmente porque estamos estressados comprando coisas que não precisamos, com dinheiro que não temos com o objetivo de impressionar pessoas de quem se quer gostamos.
______________________________________________________________

Samuel Vieira é pastor presbiteriano e atualmente pastoreando a Igreja Presbiteriana de Anápolis-GO. É casado com Sara e pai de Priscila e Mateus.

Samuel Vieira

Voltar