Lutas da Alma   

SOBRE CIRCUNSTâNCIAS
Obrigado pelas minhas circunstâncias, mas não apenas pelas
"boas". Perdoa-me por acreditar que sei quais são as "boas" e quais as “más". Perdoa-me por imaginar que eu sou o mestre da minha alma, o dirigente do meu destino. Perdoa-me pela arrogância de tentar fazer a minha vida "funcionar" de modo a ser continuamente feliz, preenchido, gratificado, pelo fato de crer que eu, sim, é que sei do que preciso e do que não preciso. Eu te entrego toda a minha impiedade, autoconfiança, auto-suficiência, e corro para ti, Aba/Pai/Jesus/Espírito, suplicando-te que me concedas uma graça de tal maneira renovada que possa me contentar em ser frágil, dependente, filho adotado teu, um filho servo, um filho amado, resgatado por tua infinita misericórdia e graça.

Obrigado pela sanidade que posso experimentar, a qual me vem quando me regozigo e encontro real conforto por me conscientizar de que não tenho nenhuma retidão própria. Portanto, agora é profunda a minha gratidão por tua preciosa retidão, tu que me capacitas a ver e a entender como te regozijas em mim e me capacitas a desfrutar a mim mesmo. E mais: pela maneira como singularmente me criaste.

Aba, Pai, eu preciso da tua graça a cada dia, porque a perco muito rapidamente; a de ontem já se esvaiu; preciso de outra hoje. Como posso ter, Senhor, a humildade e o amor sobrenaturais a fim de atingir o perdido com teu amor, que insiste em me alcançar? Obrigado, Senhor, obrigado, obrigado a ti, pérola de valor inestimável, pela qual vale a pensa vender tudo que tenho para possuí-la.

Nélio DaSilva

Voltar