Liderança em Ministério   

ESTABELECENDO UMA CULTURA DE SERVIçO
Um dos meus amigos estava pastoreando uma igreja, que aliás crescera substancialmente nos seus primeiros três anos de ministério. Como excelente estrategista ele a liderou de uma maneira bastante eficiente, ao desenvolver um plano de crescimento; trouxe pessoas para a sua visão e executou seu plano de uma maneira impecável.

Sob uma variedade de pontos de vista a igreja acabou se tornando uma das maiores na sua região. Tecnicamente tudo estava em ordem para que ela continuasse a experimentar crescimento. Contudo, no seu quarto ano sua freqüência caiu significativamente, e ela nunca mais alcançou a projeção de crescimento que experimentara nos primeiros anos.

Qual a razão disso? A igreja pastoreada por meu amigo fracassou em alcançar seu potencial porque as pessoas envolvidas não haviam compreendido que o coração de uma igreja crescente está na mesma proporção da sua habilidade de servir.

A incapacidade de servir deu seus primeiros passos no berçário das crianças. Não havia ninguém disposto a servir nesse tão importante e vital ministério da igreja. Aliás, o mesmo ocorreu em outros ministérios. O interessante é que, apesar de outras abordagens mais mecânicas para crescimento, tais como planos, estratégia, alvos etc. estivessem bem posicionados, o fato é que a igreja sofreu declínio em função da recusa dos seus membros em servir uns aos outros e à comunidade que eles tentavam alcançar.

Onde nos encontramos?

Compartilho essa história para dar ênfase ao fato de que o coração do crescimento de uma igreja depende basicamente do aspecto espiritual, e não do técnico. Toda experiência prática me mostra que até mesmo uma sólida organização e ministérios bem planejados irão eventualmente fracassar, se despojados do amor ativo, o cuidado e o serviço demonstrado para com o Corpo de Cristo e o mundo que pretendemos alcançar.

As Escrituras nos asseguram que as pessoas que precisam do Senhor Jesus seriam atraídas a ele na medida em que vissem que estamos amando uns aos outros (João 13:34,35), e não pelo fato de serem as nossas técnicas as mais avançadas e saudáveis. Sim, é óbvio que desejo enfatizar este ponto: precisamos estar certos de que o lado estratégico do nosso ministério tem sido solidamente estabelecido. As pessoas poderão se afastar da igreja, caso vierem a conhecer a maneira desleixada com que conduzimos nosso ministério. Por outro lado, a razão fundamental por que as pessoas são atraídas a Cristo vem pelo serviço que prestamos a elas.

Creio serem poucas as pessoas que irão discordar do fato de que as igrejas devem ser caracterizadas por seu serviço amoroso e sacrificial. O Senhor Jesus tornou isso bem evidente, quando seus discípulos Tiago e João, e a mãe deles, o abordaram, pedindo-lhe que os deixassem sentar um à sua direita e outro à sua esquerda, no seu Reino (Mateus 20:20-28). A resposta de Jesus estabelece o tom de um verdadeiro ministério.

“Vocês sabem que os governantes das nações as dominam, e as pessoas importantes exercem poder sobre elas. Não será assim entre vocês. Ao contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo, e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo; como o Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos."

Criando uma Cultura de Serviço

Uma das principais tarefas de um líder é edificar uma cultura de serviço, mediante a qual as pessoas possam servir umas às outras. Registro abaixo alguns passos que outros lideres tomaram a fim de criar uma cultura de serviço em suas igrejas.

Passo#1: Assuma um compromisso de longo prazo. Construir ou edificar uma determinada cultura numa igreja é um processo lento e ao mesmo tempo difícil. Especialistas do comportamento humano afirmam que a cultura é uma atitude que leva pelo menos cinco a sete anos para se construir. São necessários suficientes e eficientes mentores, liderança e exemplo a serem observados, antes que a cultura se transforme em realidade cristalina.

Passo#2: Envolva todos os líderes da igreja na cultura a ser implementada. Parte da razão pela qual são necessários cinco ou sete anos para implementar uma nova cultura é o fato de que líderes precisam ser treinados para compreender e verificar a nova cultura em ação.

Passo#3: Envolva-se no conhecimento do seu povo. Invista uma grande quantidade de tempo – formal e informalmente – fazendo perguntas, identificando valores, sondando corações. Trace um quadro da cultura atual da sua igreja e identifique os valores que devem permanecer e os novos valores com necessidade de serem assimilados ou implementados.

Passo#4: Molde uma nova cultura. Leia passagens das Escrituras que descrevem o que a Igreja realmente deve ser, verbalizando a seguir uma nova visão cultural para ela, baseada naquilo que você tem aprendido. Antes de pensar em desenhar uma nova cultura é fundamental que você decida como serão seu formato e implicações.

Passo#5: Formalize sua nova cultura. Comece por criar uma declaração de missão e escrever uma série de valores. Trazer as pessoas a uma nova cultura de serviço só tomará lugar quando as pessoas compreenderem e sentirem um senso de paixão pela missão ou propósito da sua igreja.

Passo#6: Modele uma nova cultura. Lembre-se de que um princípio tremendo de liderança é este: As pessoas fazem aquilo que vêem. Líderes são cruciais para uma nova cultura. Suas palavras e seu tom de voz são essenciais para sua implementação. Exemplo: criar uma cultura de serviço positiva significa demonstrar cuidado e consideração para com as pessoas que já estão na igreja, ao lhes aprimorar ainda mais sua dignidade, buscando soluções para os problemas de uma maneira justa e objetiva.

Passo#7: Comunique a sua nova cultura. Nunca force em seu povo os elementos da sua nova cultura. Em lugar disso concentre todos os seus esforços em usar todos os meios de comunicação possíveis a fim de comunicar sua nova cultura de serviço, nos próximos cinco a sete anos, de uma maneira clara, firme e consistente.

Passo#8: Reforce a sua nova cultura. Use o jornal informativo da igreja (se você o tem), ou cartas específicas a seus membros, ou inclusive tempo do culto para contar histórias de como membros estão servindo uns aos outros, carregando as cargas alheias e desta forma exercendo a vontade do Senhor. Pregue e ensino sobre tópicos a respeito do serviço cristão.

Passo#9: Reconheça as pessoas que estão abraçando seu valor cultural. Escreva um cartão, envie flores, faça, enfim, algum tipo de reconhecimento àqueles que estão servindo uns aos outros. Faça um reconhecimento público tão rápido quanto possível, a fim de que outros possam ver o bom exemplo e sejam encorajados a fazer o mesmo. Ao agir dessa maneira outros estarão vendo que você realmente crê nesses valores.

Passo#10: Faça um evento anual a fim de enfatizar a sua cultura de serviço. Aproveite essa oportunidade para chamar a atenção sobre sua missão e valores, a todos os presentes. Dê placas de reconhecimento pelo bom serviço, pelo altruísmo, e celebre as bênçãos de Deus sobre a sua igreja, durante o ano que passou.

A cor verdadeira vai aparecer

Estabelecer uma nova cultura é como pintar sobre uma parede com uma cor mais escura. A cor original irá eventualmente aparecer, a não ser que as pessoas realmente “comprem” de coração a nova cultura.

Você pode escrever uma nova declaração de missão, desenvolver um novo slogan e nada absolutamente pode mudar; isto, porque a dificuldade não está na linguagem, e sim na atitude. É a profundidade por trás das declarações que realmente conta. A verdadeira cor das pessoas sempre aparece. Isso também ocorre com a sua igreja.

Conclusão

Capturar uma nova cultura de serviço só é totalmente possível quando o coração dos adoradores está comprometido com um novo e sacrificial espírito de serviço.

Nélio DaSilva

Voltar