Liderança em Ministério   

O PASTOR REVITALIZADOR (PARTE 1)
O mundo dos negócios da atualidade está em busca de “Turnaround Managers”, ou seja, aqueles executivos que se deparam com uma empresa que está enfrentando desgastes e perdas financeiras, e ao assumirem a sua liderança fazem com que um rumo completamente novo e positivo passe a tomar lugar, trazendo ar fresco, nova direção e – conseqüentemente - lucros para ela. Lee Iacocca e seu trabalho na direção da Chrysler tornou-se um exemplo clássico de um “Turnaround Manager”.

De modo similar, igrejas desgastadas e necessitadas de revitalização precisam também freqüentemente da habilidade e perícia de um “Turnaround Pastor”. Esses indivíduos se deparam com uma igreja em declínio, e mediante sua arguta e florescente liderança fazem com que ela venha a experimentar crescimento e uma nova e necessitada vitalidade.

Quais são as características de um turnaround pastor, ou de um pastor revitalizador?... É minha pretensão deixar com você doze características que distinguem o pastor revitalizador do restante da população pastoral. Para uma melhor identificação creio ser pertinente dividir as características entre as áreas Pastoral e de Liderança.

Características Pastorais

1. Empatia
O pastor revitalizador experimenta forte empatia com as cargas e aflições das pessoas sob seu cuidado pastoral, e tem uma habilidade toda especial de lidar sinceramente com essas questões. Em outras palavras: ele sabe quando chorar e quando se regozijar com seu povo.

Exemplo - Neemias tomou conhecimento de que o povo remanescente em Jerusalém estava em “grande sofrimento e humilhação”, e em função disso a sua reação foi: “...sentei-me e chorei. Passei dias lamentando-me, jejuando e orando ao Deus dos céus” (Neemias 1:3,4). De modo semelhante, a empatia de Paulo por seus irmãos judeus foi tamanha que ele escreveu: “Pois eu até desejaria ser amaldiçoado e separado de Cristo por amor de meus irmãos, os de minha raça” (Romanos 9:3).

2. Sensibilidade
O pastor revitalizador exibe uma sensibilidade fora do comum para com o palpitar do coração da congregação. Ele sabe quando deve ir adiante e quando dar alguns passos para trás.

Exemplo - Quando Esdras, o profeta, leu o livro da lei de Deus, o povo ficou profundamente consternado com seus próprios pecados. Neemias sentiu que a sua exausta congregação tinha sido forçada para lá dos seus limites. Portanto ele agora declara um dia de celebração, e pede que os levitas acalmem o povo. Algum tempo depois Neemias observou um dia para confissão corporativa e arrependimento (Neemias 8:5;9:4).

3. Equilíbrio
Apesar de ser o revitalizador um indivíduo de apurada sensibilidade, ele está envolvido numa missão profética. Assim sendo, como tal ele expõe seus propósitos com clareza e firme determinação, tendo o equilíbrio e a habilidade de orientar seu ministério às pessoas, sem se esquecer da tarefa e missão que está à sua frente.

Exemplo - A missão de Jesus era de salvar e buscar o que se havia perdido, mas ele também encontrou tempo para visitar pessoas que traziam consigo um vazio existencial, investindo além disso tempo, cuidado e consideração para com as crianças (Lucas 19:1-10; cf Lucas 18:15-17).

4. Equipamento
O pastor revitalizador assume com clareza a responsabilidade de “...preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo” (Efésios 4:12). Ele equaliza seu ministério para grupos grandes e grupos pequenos, tendo ao mesmo tempo a visão de treinar uns poucos, mas seletos líderes, para a liderança futura.

Exemplo - Paulo ministrou a grandes grupos e multidões, mas selecionou e trouxe para perto de si um pequeno grupo de indivíduos, que seriam os futuros líderes da Igreja. Paulo segue com exatidão a mesma estratégia de Jesus (Atos 15:40;16:3).

5. Discernimento
O pastor revitalizador evidencia uma habilidade de discernir entre as atitudes que vêm de Deus e as que procedem do homem. Ele parece ter uma capacidade especial de ler entre as linhas, e de discernir entre agendas carnais e agendas espirituais.

Exemplo - Neemias escreveu: “Percebi que Deus não o tinha enviado, e que ele havia profetizado contra mim, porque Tobias e Sambalate o haviam contratado” (Neemias 6:12; cf. 10-14).

6. Visão

O pastor revitalizador é por natureza empreendedor. Ele recebe com ansiedade e empolgação a tarefa que Deus lhe confiou, e assim a executa. No processo de concretizá-la ele motiva outros a buscar e alcançar o mesmo alvo.

Exemplo - O apóstolo Pedro encorajou líderes a “...pastorear o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não façam isso por ganância, mas com o desejo de servir”. (I Pedro 5:2)

Características de Liderança

7. Iniciativa
O pastor revitalizador não faz tão-somente que as coisas aconteçam, como inicia processos de mudanças. Ele exibe um humilde senso de inadequacidade, e se coloca na dependência total de Deus.

Exemplo - Josias começou uma reforma “...sendo ainda bem jovem”. Moisés disse a Deus: “Quem sou eu para apresentar-me ao faraó e tirar os israelitas do Egito?” (Êxodo 3:11)

8. Clara Visibilidade
O pastor revitalizador assume posturas bem visíveis, frontais. Sua liderança está altamente associada à sua qualidade de vida. Ele estabelece exemplos de inspiração.

Exemplo - Paulo foi, com toda a certeza, influenciado pela morte de Estêvão (Atos 7:58;8:1). Posteriormente ele desafiou outros a seguir seu próprio exemplo (I Coríntios 4:14-17).

9. Prioridades Definidas
O pastor revitalizador tem a capacidade de realizar suas tarefas com a clara compreensão das suas prioridades. Ele se focaliza naquilo que Deus - de maneira singular - o capacitou a fazer.

Exemplo - Em meio a contínuas demandas por seu tempo, Jesus era dotado de uma calma, um propósito e uma direção muito precisos para a sua vida. No final dela ele orou: “Eu te glorifiquei na Terra, completando a obra que me deste para fazer” (João 17:4).

10. Estabilidade Pessoal
O pastor revitalizador manifesta consistência e perseverança em meio às pressões. Ele ocupa uma posição que traz consigo um alto nível de estresse, desafiando freqüentemente valores e compromissos que – fatalmente – resultam em conflitos e oposições.

Exemplo - Estêvão demonstrou serena estabilidade, em face de uma hostil oposição (Atos 7:54,55). Pedro e João também são exemplos de serenidade em face da oposição (Atos 4:13).

11. Motivador
O pastor revitalizador compreende a natureza da tarefa que tem à sua frente, e sabe como motivar outras pessoas rumo à concretização do seu alvo; e no processo ele recebe o apoio e o suporte das pessoas.

Exemplo - Moisés se identificou com a aflição do povo; sugeriu um plano para solucionar essa aflição e foi reconhecido como o homem de Deus para liderar o povo naquela situação (Êxodo 12).

12. Atitudes Arrojadas
O pastor revitalizador é freqüentemente identificado como rude e autoconfiante. A confiança dele vem de uma profunda fé em Deus, fé essa que o capacita a assumir riscos significativos. O bem-sucedido resultado dos seus riscos fortalece freqüentemente a fé daqueles que o seguem. Contudo, em algumas ocasiões os resultados podem ser também desastrosos.

Exemplos - Pedro lutava constantemente para se equilibrar entre a rudeza e a verdadeira liderança. Eventualmente ele aprendeu a tal ponto a temperar essa qualidade, que pôde canalizá-la para propósitos bastante produtivos.

Conclusão

O pastor revitalizador tem a capacidade universal de fazer as coisas acontecerem. Como líder no Corpo de Cristo, o pastor revitalizador é singularmente suprido pelo Espírito Santo com o dom de liderança. “Se alguém tem o dom de exercer liderança, que a exerça com zelo”, diz Romanos 12:6,8.

O pastor revitalizador tem um profundo cuidado pastoral para com a sua congregação, enquanto faz simultaneamente as coisas acontecerem. Até mesmo os membros relutantes a mudanças não são alienados, e sim gentil e amorosamente liderados.

Nélio DaSilva

Voltar