Artigos   

DELEGANDO COM EFICIêNCIA
Na minha estimativa são poucos os líderes que delegam a quantidade certa de responsabilidades àqueles que estão dispostos a servir. Porém, existem aqueles – mais poucos ainda - que delegam demais; e outros tantos – a grande maioria – que praticamente nada delegam. Por que? Bem, a realidade é que a maioria das pessoas em posição de liderança concordam que deveriam delegar muito mais que delegam mas relutam em investir tempo com o objetivo de ensinar uma pessoa uma nova tarefa – ainda que absolutamente importante – a ser desempnehada.

Outros não delegam porque estão excessivamente envolvidos com aquilo que estão fazendo a ponto de não conseguirem emocionalmente abdicar daquilo que consideram como “meu projeto”. Outros, simplesmente não delegam por não confiar em seus voluntários e por temor de perda de controle.

Porém, apesar de todos os possíveis obstáculos, - alguns que nem sequer mencionei, o fato é que os argumentos em favor de delegar são fortes demais para serem ignorados. Veja apenas alguns deles: você poderá reduzir a sua carga, aliviar a sua agenda, sentir-se mais seguro ao deixar o seu escritório, desafiar e desenvolver novos líderes e talvez se concentrar em uma outra área de tremenda importância.

Portanto, delegar é um investimento que se for feito com sabedoria e talvez seguindo a sequência abaixo, poderá resultar em excelentes benefícios à saúde da sua liderança.

1. Faça um inventário do seu povo
Rick Warren alguns anos atrás me contou que certa ocasião quando a Saddleback precisava desesperadamente de encontrar um terreno, ele fez um breve aviso à congregação dizendo: “Se você pode nos ajudar com as suas habilidades profissional a adquirir um terreno para a nossa igreja favor se reunir comigo na segunda feira as 8:00 da noite no meu escritório aqui na igreja.” No dia seguinte lá estavam vários consultores de empresas de portentosos portes no mercado americano. Rick não tinha nem por sonhos a idéia de que aquelas pessoas com todo aquele talento já faziam parte da sua igreja.
Talvez você não tenha a mesma riqueza de talentos que Rick tem na Califórnia. Mas isso não lhe exime do fato de que cabe a você e a mim como líder descobrir os tesouros que estão sentados nos bancos das nossas igrejas. Portanto, é sua a responsabilidade de acessar o seu material humano. Faça perguntas como: “O que é que eles fazem bem?” “O que eles gostam de fazer?” “Onde é que eles tem brilhado no passado?” Faça uma lista, trace um perfil de dons, habilidades e vontade de cada pessoa.

2. Faça uma combinação dos talentos com a responsabilidade
Quais são as atividades atuais que requer um talento ou interesse em particular que possa combinar com a responsabilidade a ser delegada? Exatamente – quais são as partes daquelas atividades que você poderia delegar a uma pessoa com aquele talento e interesse? Pode a tarefa ser logicamente extendida a fim de ser aglutinada para a nova responsabilidade?

3. Antecipe repercussões
Quais são as acomodações que você deverá fazer a fim de apoiar a pessoa que deverá receber a tarefa? Como você irá evitar qualquer consequência negativa e minimizar os riscos sobre a tarefa que foi delegada?

4. Comunique a sua expectativa com clareza e objetivade
Não apenas verbalize, mas ponha no papel e declare com a mais precisão possível a maneira como você espera que a tarefa seja desempenhada. O que é que realmente você espera? Como será o projeto na forma final? Quais são os elementos especiais que devem estar inclusos? O que deve ser exclusos?

5. Providencie latitude e criatividade
Dê liberdade e espaço para que a pessoa que foi delegada à tarefa, possa agir com tranquilidade. Controle o resultado e não a criatividade para a obtenção do mesmo. Permita que a pessoa que recebeu a tarefa traga alguns elementos adicionais e talvez até melhores idéias do que a sua a fim de completar o projeto que você concebeu.

6. Mostre os benefícios
Todo ser humano precisa de motivação e todas as pessoas tem a “chave” certa. Sem cair na transgressão da manipulação, explique à pessoa as vantagens de aceitar essa nova tarefa partindo da perspectiva dela. Exemplo: “Essa tarefa lhe fará mais relevante no Reino.” “Essa tarefa poderá lhe trazer enormes dividendos espirituais.” “Essa tarefa irá lhe trazer enorme satisfação pessoal.” “Essa tarefa irá elastecer a sua liderança.” Expresse o seu próprio otimismo e confiança na habilidade daquela pessoa em ser bem sucedida. Prometa o seu apoio e a sua assistência.

7. Apoie o que foi delegado
Providencie todos os recursos que forem necessários a fim de que a pessoa e a tarefa possa ser bem sucedidas. Treine e instrua sobre todos os passos necessários requeridos pela responsabilidade que foi delegada. Mentorize a pessoa durante o processo de realização da tarefa. Forneça as informações, tempo, dinheiro, autoridade, contatos pessoal a fim de que a pessoa possa ser bem sucedida na realização da sua tarefa.

8. Permaneça acessível
Aja como um porto de refúgio quando a pessoa estiver insegura, vacilante em meio aos vendavais de dificuldades para a realização da tarefa. Permaneça disponível para consulta, para encorajamento e apoio mas não assuma a responsabilidade que pertence apenas à pessoa que recebeu a tarefa.

9. Avalie os resultados
Faça um acordo com a pessoa que recebeu a tarefa de juntos avaliarem e, numa data mutuamente concordada, discutirem o progresso daquilo que foi delegado. Faça isto pelo menos uma vez por mês até que o projeto esteja concluido. Faça os ajustamentos necessários conforme requeridos pela avaliação.

10. Faça um reconhecimento público do bom trabalho realizado
Louve tanto o esforço e dedicação da pessoa quanto a realização alcançada. Agradeça as pessoas que lhe ajudaram. Resultados concretos e tangíveis tem o potencial de enviar mensagens poderosas àqueles que poderão se tornar canais de concretização de novos e gratificantes projetos.

Nélio DaSilva

Voltar