Artigos   

LIDERANçA EM MOMENTOS CRíTICOS
Você já percebeu que em algumas vezes quando você tenta “dar um jeito na vida” - organizar, manter a calma e o controle, ser mais gentil com as pessoas, mais paciente ou criar alguma coisa a fim de fazer com que um real aprimoramento se apodere de você - que parece ser exatamente em tempos assim que certos obstáculos surgem a ponto de fazer com que você questione até mesmo aquilo que está querendo criar?

Estou absolutamente convencido de que todos nós temos – eventualmente – esse tipo de experiência. Tudo parece estar indo muito bem, a semana correndo otimamente, tudo perfeito com as crianças, na igreja as coisas não poderiam estar melhor, e de repente... BOOM!!! Alguma coisa acontece que desmorona com a sua empolgação, com a sua alegria. De um momento para o outro você se encontra numa situação extremamente difícil. Eu chamo isso de “Momentos Críticos”.

Esse é o momento quando o BOOM surge - um momento em que você se sente completamente impotente diante da situação, mesmo após sentir-se muito forte, quando tudo parecia sob absoluto controle. O que fazer em tempos como esses?

Eis aqui uma lista de seis atitudes que você pode assumir nesses momentos críticos. Se você me permite, deixe-me ser bastante pessoal: tenho experimentado esses oito elementos em minha própria vida, e eles têm provocado uma substancial diferença na prática do meu viver. Tenho encontrado alívio diante do estresse emocional em que eventualmente me deparo. Como sei que você é tão humano quanto eu, então possivelmente pode ser que haja aqui algum benefício também para você.

1) ORE
Ore… Faça da oração o primeiro recurso, jamais a última opção. Entregue suas emoções e circunstâncias a Deus; respire fundo e ORE. A oração é o respirar da alma. Mais e mais creio que o benefício primordial da oração é encontrar no meio do mais aparente desacerto o acerto do propósito e da paz de Deus, que excede toda compreensão lógica.

2) CHORE
Sim, você leu corretamente. Chore. O choro – afirmam psicólogos dos nossos dias – tem a habilidade de aliviar a tensão do corpo em tempos de crises. Na realidade o estresse emocional é como uma tempestade que vai gradualmente crescendo no interior de uma pessoa. Eu posso física e mentalmente ouvir, ver e sentir os trovões, raios e relâmpagos dentro do meu mundo interior em tempos de fortes tensões. O choro é como a chuva que vem durante a tempestade. É a purificação do corpo e da alma, que à semelhança da chuva de verão purifica a terra. É interessante observar que até mesmo Jesus, apesar de não conhecer em si mesmo o pecado, também nos deu o exemplo da sua humanidade ao chorar. Não tenha medo de exibir as suas lágrimas. O velho ditado “homem que é homem não chora” é uma ardilosa artimanha do inimigo da nossa alma contra um lenitivo de Deus para nosso próprio benefício.

3) SORRIA
Mais do que sorrir, tente dar boas gargalhadas tanto quanto possa. Salomão sabia do que estava falando quando disse: “Medicina…” (Monica, deixe como esta que vou ainda ver o texto).

Tenho descoberto, em anos recentes, que se em vez de nos levarmos tanto a sério levássemos Deus a sério, teríamos muito mais motivo para rir...

Aprenda a rir de você, isso porque se você não rir de você mesmo outras pessoas rirão. Em momentos críticos traga um filme cômico para casa, ou traga à memória situações cômicas. Meu ponto é simples: sorria! Sorria, porque acima de tudo você tem um Pai Celestial que tem absolutamente TUDO sob seu controle. Não existe absolutamente nada que está acontecendo sem que antes tenha passado pelo filtro do amor de Deus.

4) DESABAFE
Coloque isso para fora. Fale abertamente e sem reservas com seu cônjuge, ou com um amigo de confiança. Abra seu coração. Fale, fale, fale... O melhor exemplo de desabafo que conheço nas Escrituras foi feito por Jó, ao enfrentar seu “Momento Crítico” (Jó 7:10-21). O interessante é que Deus não interrompeu seu desabafo. Ele nem sequer o exterminou, pela atitude ousada com que questionou a sabedoria do seu Criador. Certamente que isso expressa em alto e bom som o caráter do nosso Pai Celestial.

5) FAÇA EXERCÍCIO FÍSICO
Um dos hábitos mais salutares que alguém pode cultivar é o de caminhar. Quando você caminha, essa forma de exercício lhe dá a oportunidade de refletir, meditar, falar com Deus. Um dos momentos mais preciosos que tenho tido com Deus tem acontecido em minhas caminhadas pela manhã.

6) RENDA-SE
Não se apegue ao momento crítico que você está vivenciando. (Compreendo que é fácil demais falar, mas muito difícil vivenciar). No entanto, continue agindo com base em princípios imutáveis e não em circunstâncias transitórias. Tenho descoberto que quando nos apegamos excessivamente a um tipo de resultado que deve suceder “do modo que desejamos”, terminamos por fatalmente enfrentar dores e decepções. A paz só vem como resultado de uma entrega total, rendição, aceitação. O meu saudoso mentor espiritual Jack Miller estava absolutamente correto quando afirmou: “Um órfão é alguém que de alguma maneira perdeu o toque da graça de Deus. E agora, isolado de suas promessas, desenvolveu uma visão ínfima de Cristo e uma pequeníssima visão do Evangelho. Por outro lado, um filho é alguém que está caminhando em fé e vivendo debaixo das promessas de Deus. Essa pessoa tem um grande Cristo e um grande Evangelho.”

Os momentos críticos são inevitáveis. Na realidade eles poderão se tornar nosso pior inimigo ou nosso melhor amigo. Quero encorajá-lo a fazer do momento crítico seu melhor aliado, aquele que – sem dúvida alguma – poderá levá-lo a um nível bem mais elevado em sua liderança.

Que Deus muito o abençoe.

Nélio DaSilva

Voltar